segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Câmera mais rápida do mundo


MIT cria a câmera mais rápida do mundo capaz de fotografar, frame a frame, um faixe de luz



Do FL

O Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês) criou a câmera mais rápida do mundo que consegue capturar, quadro a quadro, a trajetória de um feixe de luz.

Sendo mais claro: os caras dispararam um flash em direção de uma garrafa pet cheia de água. O feixe de luz deste flash demora cerca de um nano segundo (um segundo dividido por um bilhão) para atravessar esta superfície. Rápido para caraca! Não para a câmera mais rápida do mundo, que capturou tudo e transformou em um vídeo (veja abaixo).

Você pode querer ver também:
Dicas para fotografar bem melhor
Dicas para fotografar a lua
Dicas para fazer fotometria
Fotógrafos famosos
A História da Fotografia 



Para se ter uma ideia, o jornal The New York Times fez uma continha e escreveu: “Se uma bala for monitorada da mesma forma, se movendo através do mesmo fluido, o filme resultante duraria três anos”. Sacou a rapidez?

Os cientistas gastaram 250.000 dólares (não vou quantificar em reais porque nossa moeda está uma piada) para fazer a tal câmera.

Andreas Velten, pós-doutorando no Media Lab, um dos maiores laboratórios de inovação do MIT, disse que "não há nada no universo que seja rápido demais para essa câmera", acredito que nem mesmo o super-herói dos quadrinhos Flash escaparia da câmera mais rápida do mundo.

Trocando em miúdos, ela faz o absurdo de um trilhão de quadros por segundo. Vale lembrar que as câmeras tradicionais fazem de 6 à 24 quadros pelo mesmo misero segundo. 

Não, sua GoPro não ficou obsoleta. Esta câmera não foi feita para o mercado convencional. Ela servirá mais para fotografar partículas ultrarrápidas do que fazer um vídeo slow-motion de seu mergulho desengonçado na piscina.

Na verdade, a câmera mais rápida do mundo trabalha com uma abertura de diafragma bem pequena, para capturar coisas pequenas, como o fótons, trazendo uma imagem unidimensional do objeto. Para registras o feixe de luz passando pela garrafa, e transforma-lo em uma imagem bidimensional (para que nossos olhos possam reconhecer), os cientistas levaram cerca de uma hora.

Isso, segundo seus criadores, transformou a câmera 'suprema', na “câmera rápida mais lenta do mundo”, brincam.


Veja o vídeo que eles fizeram.    


Google