sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Dicas para fotografar Estrelas e o Rastro de Estrelas


Com esta dica você aprenderá a fotografar um céu estrelado além de conseguir registrar o rastro de luz das estelas.


Por Diego Calvo
Fotos João Machado

Você deve estar se perguntando como fotografar um céu estrelado? E como fotografar o rastro das estrelas deixado pela rotação da terra? Pois o FL, em parceria com o fotógrafo João Machado, vai te mostrar como.

Vamos começar simples: Como fotografar um céu estrelado?

Primeiramente, para fotografar as estrelas, você precisará de um bom tripé, ou um ponto de apoio bastante sólido. Ao contrário de como fotografar a Lua, você vai precisar de uma baixíssima velocidade, de um alto ISO e boa abertura.  
Isso se dá porque a luz que vem das estrelas é uma luz fraca e que já caminhou por milhares de quilômetros anos a fio, por isso se dispersou. Vimos o comportamento da luz no artigo da regra do inverso do quadradoda luz.

Na foto abaixo, João Machado usou uma velocidade de 30 segundos (o máximo das câmeras sem nenhum aparato), ISO 3200 e f3.5. Por isso você precisará de um tripé.

ISO 3200, f 3.5, 30 segundos


Com esta configuração, e fazendo variações em torno disto, você conseguirá um bom resultado.

Como capturar o rastro das estrelas pela rotação da terra.

Galileu Galilei já dizia que a terra se movia lá nos tribunais da inquisição do século XVII e esse movimento, para a nossa alegria, pode gerar uma imagem incrível.

Conheça a Nikon Coolpix P900, o maior zoom da categoria. 

Para tanto você precisará, além do tripé, de um disparador externo com timer. Isso porque o tempo de exposição necessário para capturar o rastro das estrelas é além do suportado pelas câmeras mais comuns do mercado, que é de 1/2 minuto geralmente.

João Machado nos conta que para pegar o início do rastro das estrelas pela rotação da terra, a exposição gira em torno de 3 minutos.

Você precisará colocar a câmera em modo B (Bulb) onde o obturador ficará aberto enquanto o botão do disparo estiver pressionado, ou, no nosso caso, enquanto o timer do dispositivo externo estiver ligado.

A foto abaixo foi feita em 3 minutos, ISO 1600 e f5.6. Perceba que ele aumentou o tempo de exposição e para equilibrar, reduziu o ISO e diminuiu a abertura.

ISO 1600, f 5.6, 3 minutos

Já nesta outra foto (que abre o texto e que repetimos abaixo) João foi mais longe e abusou. Ele usou ISO 200, f3.5 e um tempo de exposição gigantesco, 36 minutos.

Com isso, unido a rotação da terra, o fotógrafo capturou um lindo risco de luzes no cosmo. E você pode fazer isso também.
ISO 200, f 3.5, 36 minutos


Tente, experimente alternativas, teste este artigo.


Se gostou desta dica, ajude o FL a crescer compartilhando com seus amigos
Google